“Do ponto de vista político espiritual, do progresso não apenas material, mas moral e educativo, a educação se baseia na evolução do espírito, onde tudo o que se faz desenvolve a evolução da alma e consiste em elevar a consciência do homem. O aluno é um Ser. A educação tem que ajudar a viver o que o Ser veio viver”. Trigueirinho

Em seu afã de continuar propiciando e ser cada vez mais eficiente na educação integral das crianças e jovens da Escola Viva Parque Tibetano (EVPT) de sua comunidade, membros da Comunidade-Luz Nova Terra assistiram ao seminário “Educação em situações de Emergência e Respostas Humanitárias”.

A partir de 31 de outubro até 3 de novembro aconteceu o seminário, que foi desenvolvido nas instalações do auditório e áreas externas de F2 (área da Comunidade-Luz Figueira), localizada em Carmo da Cachoeira, Minas Gerais, Brasil.

Quatro dias plenos de informações, tanto teóricas como práticas, nas quais diferentes dinâmicas grupais estiveram à disposição dos participantes. Desta forma, puderam participar de mesas redondas, grupos de debates, oficinas, além de vídeos instrutivos e conferências.

Comunidade-Luz Nova Terra, presente

Pama, coordenadora e fundadora da Comunidade-Luz Nova Terra, foi convidada a integrar-se em três mesas redondas. Os temas tratados foram: “MESA 01: Educação em situações de emergências e nas respostas humanitárias”, “Educação como processo orgânico” e “Experiência de rede”. Abaixo o link das mesas.

https://www.youtube.com/watch?v=cS_JrUil9pI&t=348s

https://www.youtube.com/watch?v=AmYlREQx7wU&t=4913s

https://www.youtube.com/watch?v=NoLQqu382Lg&t=4042s

A atuação da delegação da Comunidade-Luz Nova Terra também marcou presença com as oficinas que ofereceram. A educação física é um dos exemplos.

Assim, com o objetivo de instilar a necessidade de atividades físicas em crianças e jovens, sempre tendo em conta sua idade para incorporá-la a seu ritmo, Érica Godoy, residente da Comunidade-Luz Nova Terra e professora de Educação Física da EVPT, desenvolveu a oficina “Consciência Corporal”, utilizando estímulos psicomotores e cognitivos.

“Na dinâmica da oficina pude comprovar a carência de estímulos nas pessoas adultas”, comenta Erica. “Além disso, senti a necessidade de que os adultos, pais, educadores ou não, revisemos, em caráter de urgência, o que é que estamos entregando às crianças, principalmente, mas também a tudo o que nos rodeia”, conclui.

Este evento foi uma iniciativa da Fraternidade – Federação Humanitária Internacional. Nesta sua primeira edição, conseguiu reunir em torno de 355 pessoas, procedentes tanto do Brasil como de outros pontos da América Latina, em modo presencial e com transmissões ao vivo para diversos países de distintos continentes.

Se deseja mais informações:

+55 21 97435-3083 whatsapp