“O que se necessita é tomar a decisão de mudar e querer viver o bem comum” *Cristina Brasileira.

Entre os dias 11 e 13 do presente mês, crianças e jovens da Escola Viva Parque Tibetano da Comunidade Luz Nova Terra, assistiram à sua primeira oficina vivencial de floresta escolar, a qual foi ensinada pela agro ecologista Cristina Brasileira.

Crianças com idades compreendidas entre 6 e 10 anos e jovens cujas idades variam entre 15 e 20 anos, todos alunos da Escola Viva Parque Tibetano, assistiram a um workshop introdutório que é parte de um ciclo de ensinamentos sobre educação ambiental e consciência ecológica inseridos na atual grade escolar.

A vivencia

Desta população estudantil foram organizados dois grupos, podendo receber de acordo com suas idades e motivações a respectiva instrução.

Ambos os grupos aceitaram com entusiasmo as informações e à medida que se desenvolvia o encontro, manifestavam muito interesse pelo tema. Cabe mencionar que o grupo de jovens originou um ambiente interativo, enriquecedor para todos.

O gerenciamento da luz (acompanhamento do ritmo solar e lunar), a relação do macrocosmo e microcosmo, as construções que cuidam da mãe terra (geo casas) foram alguns dos temas transmitidos, principalmente do aprendizado de vida de Cristina.

Ela, com grande simplicidade, despertou o interesse dos assistentes, mas, acima de tudo, alcançou seus corações.

O Projeto

A instrutora, utilizando a agrofloresta como método e sob a premissa de mudança, direciona sua pedagogia para o resgate de uma educação o mais natural possível. “Eles saem de sua natureza e se abrem a outra natureza”, comenta Cristina.

“Comungam com a natureza diretamente pelo toque, o olfato, o paladar, visão e som”. Acrescenta.

Um projeto que envolve atividades de integração ao Reino Vegetal, onde os grupos, além de trabalharem a parte física da agroflorestal, mergulharam nos princípios básicos da mesma, tais como: Unidade, cooperação, respeito, diversidade. Tudo com a maior simplicidade.

É importante destacar um terceiro grupo que recebe a mesma instrução, mas no campo dos facilitadores. Eles ficarão encarregados de dar continuidade ao trabalho com os alunos que a Cristina conduzirá uma vez por mês.

Sempre propiciando espaços para desenvolver uma melhor relação com o planeta, a Comunidade Luz Nova Terra assume, cada vez mais, o compromisso de ações e responsabilidades conscientes, onde se constrói uma relação de equilíbrio entre os seres humanos e a natureza.

Dessa forma, essa comunidade é uma referencia importante na conservação dos recursos naturais, no desejo de alcançar um desenvolvimento sustentável para suprir as necessidades das gerações atuais, sem comprometer negativamente as gerações futuras.

*Cristina Brasileira, profissionalmente treinada em agroecologia, também é especialista em permacultura e na produção de alimentos biodinâmicos, agrofloresta e saneamento ecológico. Entre muitas ações, destacam-se o trabalho associado à educação, sua experiência em resgatar áreas degradadas e suas ações há mais de 30 anos com os povos originários.